• Livro: O Caderninho de Desafios de Dash & Lily
  • Autor: David Levithan e Rachel Cohn
  • Editora: Galera Record
  • Páginas: 256
Sinopse: O Natal está quase chegando, o que é motivo de grande alegria para Lily, que sente que chegou a hora, finalmente, de se apaixonar. Para encontrar sua cara-metade de forma nada óbvia, ela montou, junto de seu irmão, um plano: deixou um caderninho vermelho repleto de tarefas em uma das prateleiras de sua livraria favorita – e mais caótica, vale ressaltar – da cidade, na expectativa de que o cara certo apareça e aceite o desafio. Dash, que não é exatamente um fã do período natalino, encontra o caderninho na sua também favorita livraria e decide – por que não? – topar a missão. Intrigado e curioso, ele completa as primeiras tarefas, e os dois passam a se comunicar e conhecer um ao outro utilizando como ponte o caderninho, que é deixado e resgatado, a cada vez, em um ponto diferente de Manhattan. Mas Dash é mesmo o cara certo? A conexão entre eles é imbatível, no entanto, à medida que o tempo passa, os dois começam a questionar se sua relação está destinada a permanecer apenas nas páginas de papel ou poderão, um dia, alçar voo e ganhar vida e cores. Será que suas versões em carne e osso conseguirão manter essa crescente sintonia? Ou tudo isso revelará ser apenas uma cômica e desastrosa bagunça?

Lily ama o natal, a magia das luzes e decorações por toda Nova Iorque, se vestir apropriadamente, a ceia, a troca de presentes entre os membros da família… Bem, tudo. Então imaginem a decepção da garota quando seus pais decidem passar o natal sozinhos em uma ilha tropical, como uma segunda lua de mel, para comemorar suas bodas.

A menina está se sentindo ultrajada. Como eles tiveram a capacidade de deixá-la para trás? Mas seu irmão, Langston, estaria ali pra fazer-lhe companhia e tudo ficaria bem, certo? Errado. Langston está de namorado novo e os dois passam os dias trancados dentro do quarto, sem dar a mínima bola para Lily e, quando ela tenta se aproximar, a expulsam do recinto e dizem que está mais do que na hora de ela arranjar alguém para chamar de seu.

Sendo assim, Langston pega um dos inúmeros moleskines vermelhos de Lily e a ajuda a criar alguns desafios. O garoto que encontrar esse moleskine na livraria, dentre os livros do autor favorito de Lily, e conseguir cumprir todas as tarefas é, com certeza, o par ideal para ela. Apesar de discordar a princípio, no fim Lily concorda e fica ansiosa esperando alguém desvendar o enigma.

Do outro lado conhecemos Dash. Ele não suporta o natal e nada relacionado a ele. Tanto é que, para evitar qualquer tipo de comemoração, disse ao pai que celebraria a data na casa da mãe enquanto para ela falou o contrário. Os pais de Dash são divorciados e se odeiam tanto que não se falam mais, então, acreditam no menino e saem em viagem com seus respectivos parceiros. Dash mora com a mãe, portanto, depois que ela vai viajar, ele fica sozinho em casa, curtindo esse tempo só para ele.

Passeando por sua livraria favorita, Dash encontra o caderninho de desafios de Lily e fica intrigado com o conteúdo. Ele resolve cumprir as tarefas impostas e surpreende-se com o brilhantismo daquela ideia. Após a última tarefa, Dash vê que a dona do caderninho pediu que ele deixasse seu e-mail com o atendente da livraria, de forma que ela entrasse em contato com ele, e também que colocasse o caderninho de volta onde o encontrou.

Só que Dash não é o tipo de pessoa que faz o que os outros querem e, ao invés de deixar o e-mail como solicitado, cria outro desafio para Lily, além de levar consigo o moleskine. Se Lily o quiser de volta, precisará desvendar os enigmas propostos por Dash. E assim, Dash e Lily vão trocando desafios, deixando o caderninho nos lugares mais inusitados da cidade e nas palavras trocadas vão conhecendo um ao outro cada vez mais.

Quando o primeiro encontro dos dois acontece, as circunstâncias são as mais estranhas possíveis. Não foi algo programado e quando o mistério da real identidade um do outro é desvendado, a decepção de uma das partes é grande. Todavia, eles se conhecem muito bem através do caderninho. Será esse encontro capaz de destruir essa bela relação que estava se iniciando?

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Quem me conhece sabe que sou completamente apaixonado por David Levithan e se o livro tem o nome dele na capa, é certo que vou ler. Entretanto, após duas decepções de leituras do autor, em parceria com a Rachel Cohn, fiquei um pouco ressabiado quanto a essa nova obra escrita pelos dois. Mesmo assim resolvi arriscar e devo dizer que valeu muito a pena.

Pela primeira vez, senti que a escrita de David e Rachel combinou. Nos volumes anteriores, a discrepância entre os autores era palpável, mas aqui eles pareceram realmente conectados, mesmo que ainda seja possível notar o estilo próprio de cada um no decorrer da história.

Os personagens são maravilhosos e não teve um único que não me conquistou. Lily é toda meiga e doce que não tem como não se apaixonar por sua inocência. Pensem na Rachel Berry das primeiras temporadas de Glee e multipliquem por dez. Essa é a Lily. Já Dash faz mais o tipo rebelde, daqueles que não leva desaforo para casa e não se importa com nada, mas no fundo tem um coração.

Meu personagem favorito com certeza foi Boomer, o melhor amigo de Dash. Ele é um garoto ingênuo, que alguns consideram idiota, mas que tem um coração de ouro. Ele está sempre ali quando Dash precisa e o ajuda em suas missões com o caderninho de Lily. Porém, também não posso deixar de citar a Sra. Basil e a tia-avó de Lily, uma senhora espirituosa que dá muitas lições em ambos os protagonistas.

As trocas de mensagens entre Dash e Lily foram fantásticas. Mesmo sem ter ideia de quem era a pessoa do outro lado, os dois abriram seus corações e contaram seus segredos mais íntimos, recebendo sempre em troca compreensão e lealdade. Algumas passagens me emocionaram muito, pois me identifiquei um pouco com alguns causos descritos.

Um grande destaque no livro para mim foram as referências que os autores inseriram na trama. A melhor sem dúvida foi a que os personagens criticam Nicholas Sparks, não consegui não rir nessa passagem. Mas também gostei muito que Rachel e David mencionaram outro título escrito por eles: Nick & Norah. Podemos ver alguns cenários pelo qual Nick e Norah passaram em sua noite de amor e música e as marcas deixadas por eles na cidade. Foi bem empolgante.

Quanto ao desfecho, foi bastante cômico e encerrou o enredo magistralmente. O legal é que Cohn e Levithan transformaram essa história em uma trilogia, que já foi toda lançada lá nos EUA, mas ainda não tem previsão para chegar aqui no Brasil. Além disso, o livro já foi adaptado para uma série da Netflix, que fez um enorme sucesso pelo seu tema natalino no final do último ano.

A nova edição física do exemplar está maravilhosa. A capa já era lindíssima e super combinava com o estilo da narrativa. Porém, essa nova edição deixou o livro ainda mais lindo, com uma ilustração exclusivamente nacional na capa. Também houve o plus das páginas amareladas, já que na edição anterior as folhas eram brancas. A diagramação segue simples, a fonte grande e a revisão impecável. Não me lembro de ter encontrado nenhum errinho durante a leitura.

O caderninho de desafios de Dash & Lily é uma obra esplêndida, que me fez recuperar a fé na parceria de David e Rachel e já me fez querer ler suas próximas histórias juntos. Espero que a Galera não tarde em trazer essas continuações para nós. Com certeza recomendo a todos. Vale muito a pena.

*Resenha postada originalmente por mim no Blog Recanto da Mi.

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário