• Livro: O Filho Rebelde (Simon Snow #02)
  • Autor: Rainbow Rowell
  • Editora: Seguinte
  • Páginas: 344
Sinopse: Simon Snow venceu. Ele pôs fim às forças do mal que ameaçavam destruir o Mundo dos Magos. Tudo deu certo. Ou quase. Porque, agora, Simon perdeu toda a sua magia. Ele não passa de um normal… Bom, tirando o fato de ter asas e um rabo de dragão. Vendo o melhor amigo mergulhar em um desânimo cada vez maior, Penelope decide levar Simon e Baz em uma viagem de carro para visitarem Agatha, que agora mora na Califórnia. O que era para ser um passeio divertido se mostra muito mais desafiador do que imaginavam. Afinal, os Estados Unidos abrigam todo tipo de criatura mágica mal-intencionada e disposta a causar problemas. Em meio a uma confusão enorme com uma legião de vampiros e outros seres malignos, talvez Simon finalmente seja capaz de reunir a força necessária para seguir em frente ― e deixar algumas pessoas para trás.

Simon Snow travou uma batalha árdua contra o Oco e saiu vitorioso, mas isso lhe custou toda sua magia. Tirando as asas e o rabo de dragão, Simon agora é um normal e isso o frustra demais, já que estava acostumado com o poder correndo em suas veias. Por mais que tentem, Baz e Penelope não conseguem animar seu amigo, até que a garota tem uma ideia que pode ajudar.

Depois dos últimos acontecimentos de Watford, Agatha se mudou para os Estados Unidos e deixou a magia para trás, para viver como uma normal. Ela não retorna as ligações e mensagens de Penelope, apenas para pedir para ser deixada em paz. Mas é claro que Bunce não entende bem os sinais e faz uma proposta a Baz e Simon: fazer uma road trip pelo território americano para que possam visitar Agatha.

Porém, quando se trata deste trio, as coisas não serão nada fáceis. A magia de Baz não funciona muito bem na América, por conta do vocabulário dos normais e para se manterem por lá eles quebram algumas boas regras impostas pelo Conciliábulo. Não fosse o bastante, o grupo passa a ser seguido por um normal que parece saber demais sobre magia e vão enfrentar poucas e boas para se livrar dele.

As coisas começam a esquentar mesmo quando Agatha liga para Penelope pedindo ajuda. A garota havia ido para uma espécie de retiro espiritual, mas as coisas saíram um pouco de controle. Sabendo que a amiga está em perigo, Simon, Penelope e Baz farão de tudo para salvá-la, até mesmo fazer uma aliança com vampiros. Mas eles farão tudo isso a que custo?

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de ler!

***

Sempre em Frente foi uma grata surpresa para mim e depois que terminei o primeiro volume, estava super empolgado pelo restante da trilogia. Eis que então decidi pegar O Filho Rebelde para ler, totalmente sem pretensão. E não é que finalizei a leitura ainda mais apaixonado por esse universo e seus personagens?

A escrita de Rainbow Rowell segue muito fluida e envolvente. Alternando diversas perspectivas em primeira pessoa, a autora possibilita que o leitor se conecte a todos os personagens sem exceção e, em consequência, os conheça melhor. Claro que sempre teremos nossos narradores preferidos (o meu é o Baz, óbvio), mas todos são importantes para o andar da trama, acrescentando as peças necessárias para completar o quebra-cabeça.

O início do livro foi um pouco lento, mas pela falta de acontecimentos marcantes. Rainbow quis focar no Simon pós-Oco e em como a perda de seus poderes afetou sua relação com seus amigos. A viagem para os Estados Unidos é sua chance de se reencontrar, mas até a ação realmente vir a acontecer, quase metade do livro se passou. Só que, mesmo com tudo isso, da metade pro final o livro é tão alucinante que se torna impossível largar.

A relação de Simon e Baz está mais madura, mas também está sofrendo o baque dos últimos eventos. Os dois se amam, é claro, mas Baz se sente frustrado por não poder ajudar Simon como gostaria e Simon sente que está atrasando a vida de Baz. Porém, é impossível não shippar esses dois a cada momento fofo trocado, a cada palavra certa no momento certo, a cada vez que um arrisca sua vida para salvar o outro… Estou cada vez mais amando esses dois!

Penelope e Agatha foram muito melhor desenvolvidas nessa continuação. Bunce terminou seu relacionamento de anos com Michael e agora também está procurando seu lugar no mundo. Foi muito interessante ver um certo normal tirá-la do prumo. Já Agatha, que sempre foi a que menos gostei, me surpreendeu bastante. Ela tentou abandonar a magia de vez, mas agora está numa jornada de autodescoberta, para tentar saber quem é sem a magia, o que não será muito simples.

O final foi muito instigante. Conforme Rainbow foi guiando para o desfecho, eu percebi que tinha coisa errada. E é claro que tudo saiu de controle, daquele jeito que só a autora sabe descrever. Amo a forma como Rowell mistura ação, comédia e as relações entre os personagens em uma mesma cena. Terminei o livro com aquela sensação de dever cumprido e ansioso pelo terceiro e último livro da série, que foi lançado recentemente.

O Filho Rebelde é uma excelente continuação para uma série que já começou boa e mostra o potencial do que ainda está por vir. Sem sombra de dúvidas eu recomendo essa história a todos. Tenho certeza que vão se envolver com esses personagens e este mundo mágico tanto quanto eu. Deem uma chance e não irão se arrepender!

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário