08 novembro, 2021

Na Telona :: ‘Eternos’

  • Filme: Eternos
  • Título original: Eternals
  • Diretor: Chloé Zhao
  • Distribuidora: Disney
  • Duração: 2h37min
  • Lançamento: 04 de novembro de 2021
  • Classificação: 12 anos
  • Gênero: Disney
  • Distribuidora: Disney
Sinopse: Originários dos primeiros seres a terem habitado a Terra, Os Eternos fazem parte de uma raça modificada geneticamente pelos deuses espaciais conhecidos como Celestiais. Dotados de características como imortalidade e manipulação de energia cósmica, eles são frutos de experiências fracassadas de seus próprios criadores, que também foram responsáveis por gerar os Deviantes, seus principais inimigos.

Eternos é o vigésimo sexto filme do MCU e vai nos apresentar este novo grupo de heróis, uma espécie de raça divina/alienígena, que foi enviada há sete mil anos para a Terra para proteger os humanos dos Deviantes, outra espécie alienígena extremamente perigosa.

Liderados por Ajak, os dez Eternos acompanham a evolução da raça humana desde seus primórdios, sempre ajudando-os nas lutas contra os Deviantes. Porém, eles foram instruídos a não se envolverem nos conflitos da humanidade, de forma a não impedir seu crescimento diante das grandes batalhas que conhecemos, tais como a Queda da Babilônia, Primeira e Segunda Guerras Mundiais e afins.

Contudo, foi impossível para o grupo não se afeiçoar aos humanos e, após a total exterminação dos Deviantes, eles se misturaram àqueles que protegiam, tornando-se semelhantes e escondendo seu maior segredo, separando-se pela Terra ao longo do tempo.

Sersi e Duende agora vivem em Londres, seguindo suas vidas normalmente, até que um Deviante as ataca certa noite. Seu maior inimigo parece estar de volta, mais aprimorado e resistente. Elas só conseguem afastá-lo depois que Ikaris aparece para ajudá-las. Juntos, os três decidem que está na hora de encontrar os outros Eternos, pois os humanos estão em risco novamente. Mas por que os Deviantes voltaram depois de tanto tempo? O que eles podem fazer para impedi-los?

Querem saber o que vai acontecer? Então não deixem de assistir!

***

Gostaria de começar essa crítica já me justificando. Eu sou um grande fã do MCU e cada novidade apresentada pela Disney me deixa em polvorosa. Então, quando soube do lançamento de Eternos, claro que imediatamente fiquei empolgado, ainda mais ao saber que seria protagonizado por uma das minhas atrizes favoritas, Angelina Jolie. Hoje fui conferir o filme no cinema – respeitando todos os protocolos básicos de distanciamento, é claro – e saí de lá num misto de curiosidade e decepção.

O primeiro ponto que me frustrou bastante foi que não consegui criar empatia pelos personagens. Tirando Thena, interpretada por Jolie, e Makkari, a primeira heroína surda da Marvel, brilhantemente interpretada por Lauren Ridloff, todos os outros Eternos são apáticos, sem carisma e às vezes até chatos. Se tratando da Marvel, você espera um filme de origem atrativo, com personagens pelos quais você quer torcer e se apaixonar, mas desta vez não foi o que entregaram.

Acho que me frustrei muito por conta de Angelina Jolie ser uma mera coadjuvante. Thena era a personagem com mais potencial. Suas cenas de luta eram incríveis e ela era uma verdadeira deusa da guerra, mas acabou se tornando uma mera coadjuvante dentro da própria história. Ela tem um bom arco de evolução dentro do filme, mas que se dá apenas nas cenas finais. Fiquei bem chateado que uma atriz do calibre de Jolie tenha sido tão desperdiçada. Espero que nas continuações da franquia ela tenha o merecido destaque.

O longa tem quase 3h de duração e acontece muita coisa que não leva a lugar nenhum. Gostei da forma como alternaram passado e presente, mostrando a chegada dos Eternos à Terra alguns milênios antes de Cristo e como eles foram se adaptando à evolução da humanidade. Porém, chegou certo ponto que esta narrativa tornou-se morosa, me fazendo ansiar pelo presente e pela resolução de todos os conflitos apresentados. Não recebi bem o que eu esperava, mas as cenas finais – incluindo as duas cenas pós-créditos – me deram um gás que me deixou ansioso pela continuação desta história.

Em resumo, Eternos está longe de ser o melhor filme da história da Marvel, mas não deixa de mostrar o talento da produtora ao desenvolver suas películas. Saí da sessão com mais perguntas do que respostas, mas acho que essa era a ideia da produção. Sendo assim, eu deixo aqui minha recomendação, mas também o alerta para que não criem tantas expectativas para este filme.

icon-newsletter

Não perca nenhuma novidade!

Veja os posts relacionados


Deixe seu comentário